h1

Intervenção amiga

setembro 14, 2008

Ontem rolou um Jantarzinho com amigos que conheci na gringolândia. Assim, lá vai mais uma da série “internacional” e “reveillon”.

Eu tenho uma amiga que no ano de 2005, foi com outra amiga para a famosa ilha de CURAÇAU em epóca de fim-de-ano, coisa de gente chique né?. Como toda boa turista minha amiga decidiu fazer um passeio de barco oferecido pelo próprio hotel, para checar mais de perto as águas cristalinas de Ilha. Mesmo sem tomar nem sequer um suquinho de laranja no café-da-manha, as amigas entraram barco e sem pensar duas vezes comecaram a se entreter com shots de tequila. Afinal né, no Caribe não dá para ser diferente vai? Tequila vai, tequila vem, as meninas começaram a socializar com as únicas pessoas de sua idade que estavam no barco, ou seja, sim, os marinheiros.

Claro que amizade foi o que nao faltou. E aí, como mulheres espertas, já checaram a programação noturna com os rapazes e combinaram de ir juntos para a ´night´. A noite começou numa baladinha ali mesmo perto do hotel, onde as loucas beberam todos os drinks coloridos caribenos possíveis, e dancaram todas, fazendo muito sucesso com o famoso rebolado que só as brasileiras tem, nao é mesmo? Deixaram a balada alegres e contentes, devidamente acompanhadas pelos rapazes do mar. Como nao bastavam os dólares gastos com os drinks, ainda compraram uma garrafa de tequila e seguiram rumo a praia, onde jogariam algo como strip beach poker com os marinheiros. Jogo vai, jogo vem, perderam várias vezes, nao só as roupas mas também a dignidade. O grupo de poker foi interrompido por uma família de coxinhas, que estavam chegando na praia as 7 da matina. Como assim pessoas chegam a praia a essa hora?? Afê… mas enfim, tomaram vergonha na cara e acharam melhor evitar vodka e lingerie frente a menores de 18 anos. Nisso a amiga da minha amiga acabou se dando bem, e levou um dos marinheiros para o quarto. Minha amiga, sem muitas opcoes, ficou basicamente de voyer no quarto. Quando viu, amasso vai amasso vem, o casalzinho na maior pegacao, a menina na cama estava quase deixando o coito acontecer sem camisinha. Não conseguia ver qualquer sinal de preservativo naquela cama, e assim resolveu intervir. Porraaa! Básico né??? Como assim, a mulé nem consegue o cara! Minha amiga nao teve dúvidas e começou a jogar camisinhas em cima do casal, para ver se os bonitos tinham alguma atitude pró-ativa nesse sentido. Camisinha vai e vem no ar, a amiga da amiga nada de fazer uso de proteção.

Daí minha miga resolveu agir de fato, nao havia outra opcao, levantou da cama, pegou uma camisinha, separou o casal, abriu a pacotinho, e deu na mão da amiga e disse: COLOCA ESSA MERDA PORRAAA!

Ninguém merece.

Nexxxttt!

Ainda lembrei dos verso:
Marinheiro, Marinheiro
Marinheiro de amargura
Por tua causa, Marinheiro
Vou baixar à sepultura…

As ondas batiam
E na areia rolavam
Lá se foi o Marinheiro que eu tanto amava…

O amor de Marinheiro
É amor de meia hora
O navio levanta ferro
Marinheiro vai embora…

José Mauro de Vasconcelos – “O Meu Pé de laranja Lima”

One comment

  1. Minha gente, que situação mais desnecessária!



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: