h1

Aladin, mas sem lâmpada

setembro 24, 2008

Eu tenho uma amiga que organizou um evento num barzinho descolado na região central de São Paulo esses dias. Lá encontrei amigos que há tempos eu não via, e papo vai, papo vem, contei para eles sobre este blog. Foi o momento de relembrar todos os ´causos´da galera. Inclusive uma  das amiga se identificou muito com a idéia, e resolveu me mandar um ´causo´ de uma amiga sua.

Senta que lá vem a história…

Pois é. EU tenho uma amiga de uma amiga que após um longo relacionamento de dois anos, fez sua primeira viagem solteira nas vésperas do ano novo, ao Maranhão, mais especificamente para a bela cidade de Lencóis. Foram ela e mais uma amiga que também estava recentemente solteira.

Logo na chegada as meninas conheceram uns caras do Rio, brotheres, que de cara não eram muito interessantes. Talvez porque ainda não estavam acreditando em uma ´pegação´futura, ou ainda porque os biscoitos estavam pegando geral. Estavam evitando ao máximo a vontade de beijar os meninos, tendo em vista que os três rapazes eram os maiores “bocas de lixo” do pedaço (apesar do incontrolável desejo sexual das meninas que já não mais tinham namorados para satifazê-las).

Estavam num camping, e para piorar a situação suas barracas eram vizinhas às barracas dos meninos. Dessa maneira, as amigas podiam ver de camarote umas cocotas chegando e se esbaldando nas barracas dos cariocas.

Uma das amigas, a mais puritana, garota corretíssima, cheia de teorias e princípios, fez mais charme para um dos rapazes que uma freira do Vaticano faria. Negou até a morte para ela mesma que um dos rapazes a interessava, e muito. Negou pra ela, e mais ainda pra ele. O rapá ficou algo como duas semanas no pé da menina, e nada…

Não demorou muito para a amiga perceber que estava a sentir milhoes de desejos pelo cara. E  difícil foi contar para a outra amiga sua verdade mais do que clara: estava de fato muito a fim de pegar o carioca, mesmo depois de afirmar que o rapaz era o maior canalha, sujo, entre outros.

Na noite seguinte, depois de muitas pingas na cabeça e umas reboladas a mais, as amigas chamavam a atenção. Claro que os cariocas perceberam o fogo da mulherada, e chegaram junto, mais famintos que nunca!

A amiga incendiada por um desejo louco, e muita cachaca é claro, Dessa vez sem muitas resistências finalmente cedeu ao charme do rapaz. E quando a mulé viu já estava na barraca com o cara.

A falta do namorado, ou a chamada ´secura´fez com que a menina se transformasse em uma máquina de sexo (nas suas próprias palavras). Mãos e bocas muito quentes.

As preliminares estavam uma loucura, entretanto, no momento do coito de fato ela não sentiu nada. Pensou coisas, pensou nao ser nada….pensou ser um dedo…Realmente teria que ser o dedo dele…. Pegou nas mãos do cara e viu que ali nao faltava nenhum dedinho… putz… Parecia que o cara colocava e tirava uma bexiguinha murcha do corpo dela.

Foi difícil acreditar que o vigoroso membro que sentia pela bermuda do menino se resumia a algo do tamanho de um batom. Nas palavras da própria amiga que contou o causo:

PUNK! Ok… as vezes existem os pequenos brincalhões, e os tais grandes bobalhões! Mas dessa vez o cara apelou, porque era um pequeno brincalhão SOLITÁRIO ( ele brincava sozinho, não proporcionava nem um SUSPIRO para a pobre menina que a uns dois meses tava “tranquila”). Ela queria rir e chorar (mas nao podia, afinal ainda era uma Lady, em baixo de um PSEUDO gostosão), e o cara se deliciando todo no corpo dela, dizendo que ela era muito quente, e que em dois segundos ele gozaria e tal… Rezou pra ele gozar logo… comecou a fingir um VAI, VAI, VAI… AHHH, AHHH, vai que eu ja fui! Mentira claro. Vergonha alheia master! Lá no meio começou a pensar váaaarias coisas… que talvez as outras meninas que escutava se deliciando poderiam estar mentido como ela… veio a vontade de ir embora, de sair de lá a qualquer custo. mas  o Pit Poodle não parava o rala rala. Até que ele foi feliz para sempre e gozou. Minha amiga fez três carinhos na cabeça dele e começou a por a roupa. O cara queria que ela dormisse lá pra acordar de conchinha….. coitado!

Levantou e ainda pegou um finalzinho de festa… afinal a noite nao podia se resumir a isso né?”

Pois é amiga…merda acontece!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: