Archive for the ‘flagra’ Category

h1

Amiga que ama um tal de Marcelinho

abril 19, 2012

Que mulher que não gosta de bater um bom papo, tomar umas cervejas, fumar uns cigarros e bater papos sem fim?

Mas como todo papo uma hora acaba sempre tem aquela amiga que sempre adora compartilhar  vídeos engraçadinhos da internet.  Numa noite dessas ela nos apresentou um tal de Marcelinho, um boneco que conta histórias safadas na internet.

Vejam aí o que acham!

No canal da Alta Cúpula tem muito mais http://www.youtube.com/user/altacupulavideos

Anúncios
h1

Eu tenho uma amiga: REMEMBER COLLEGE

outubro 5, 2011

Este post é mezzo piada interna. Nos desculpem, mas PRECISAVA ser publicado. UM BEJ a todos os envolvidos!

Eu tenho umas amigas que estudaram juntas na faculdade e que são amigas até hoje.

Dia desses uma dessas amigas estava dando uma olhada nuns e-mails antigos e achou um trabalho que foi feito para uma aula de jornalismo, que tinha uma professora muito brava e muito séria. As meninas, visivelmente sem saco… e talvez sem muito talento… resolveram improvisar e usar um amigo como material de experimento. A missão? Transformar uma pauta feminina em uma pauta para revista masculina. Saca só o planejamento:

Nome do experimento: R.S. (podemos dizer que o entrevistado preferiu que não usássemos seu nome verdadeiro. Neste caso, podemos chamar ele pelo apelido, HORÁCIO eaehauehauheuaheuaheuahuehauehauheauheua! Vamoooos, vai???) 24 anos, formado em Educação Física, trabalha como personal trainer (particular e em academia) Tem duas namoradas no histórico: a primeira é nossa amiga Rê Bordosa (“Nosso namoro era mais uma amizade. A gente vivia no bar e se divertia horrores juntos”). A segunda foi a Paula (não Rita, uma outra). Namoraram por um ano, aí ela se mudou para o Espírito Santo. Continuaram um tempo à distância, mas ele terminou. Aí no começo deste ano ela voltou para São Paulo e os dois reataram. Há cinco meses, Horacio terminou com ela (“Fui eu quem terminou o namoro, e o pior é que eu tenho certeza de que a Paula era a namorada perfeita para mim” Terminou por quê então? “Sei lá, acho que eu não sei ser namorado”)

Temos que decidir qual é o problema do Horacio. Não pode ser “Ai, quero arranjar uma namorada e não consigo”, porque isso é bichice de revista feminina e nunca sairia numa revista masculina. Juntando o que já ouvi dele e dos amigos (entenda-se Quasímodo), pode ser algo do tipo medo de compromisso (“Não posso reclamar das mulheres que conheci na minha vida, todas elas eram fantásticas. Mas não sei, chega uma hora em que me dá uma coisa e eu não sei o que quero, aí acho melhor ficar sozinho. É como se eu estivesse ouvindo uma música legal no rádio, mas aí penso: “e se tiver uma música ainda mais legal tocando na outra estação ao mesmo tempo?”. Então acabo trocando de estação para estação, sem parar em nenhuma por muito tempo, assim como faço com as mulheres” / “Minha última ficante me deu um fora na semana passada por email. Ela disse que não conseguiria falar comigo pessoalmente. Estávamos ficando há uns quatro meses e, segundo ela, o problema foi que eu não fiz nada”).

Nossa solução para isso: parar de ser uma anta e se tocar de como tem sorte em ter mulheres tão melhores que ele assim, à disposição. Tá, não podemos escrever isso, é melhor guardar para nosso manifesto feminista… mas pode ser algo do tipo: Horácio se apaixonou pela Paula, uma hora se cagou de medo e se assustou sabe-se lá porque, e fugiu. Seu problema é que até hoje não conseguiu superar a ex. Acha que vai se esquecer dela se ficar pulando de mulher em mulher, e tem medo de se envolver demais com alguma porque vai que se apaixona de novo e ela vira uma Paula 2, O Retorno?

Alguma idéia melhor para definirmos o problema do Horácio?
Temos que definir a questão que incomoda nosso entrevistado. Na matéria da NOVA, isto é “Fulana é bonita, inteligente e bem sucedida, mas não arranja namorado”. Na nossa pode algo como “Horacio conhece e conquista várias mulheres lindas, inteligentes e interessantes, mas não consegue se firmar com nenhuma delas. Por quê?”, sei lá… any thoughts? “Tenho meu código de ética: nunca fico com nenhuma aluna”. Podemos inventar que entrevistamos uma de suas alunas e ela disse: “O Horacio realmente não dá bola pra aluna nenhuma, e deixa bem claro que esse não é o jogo dele. Concordo totalmente com isso, mas só acho que ele não deveria se prender tanto nessa idéia a ponto de deixar de notar alguém interessante, que poderia ser algo mais para ele…”

Sobre a produção: explicamos como o Horacio é (comportamento, visual, etc) e dissemos que combinamos um dia de levar ele pra sair (junto com os amigos, como se fosse uma balada normal) e tentar resolver seu problema. Nessa noite, ele tentou seguir nossas dicas de comportamento e se arrumou melhor.

Na balada: Horacio geralmente não dá muita trela pras meninas na balada. Prefere se divertir na roda de amigos, mas sempre fica de olho em alguém que esteja dando bola. “Não gosto das meninas que são muito fáceis, gosto de um desafio na hora da paquera. Mas também nunca penso em conhecer ninguém interessante na balada. O que todo mundo quer nessa hora é se pegar, então pra quê perder tempo conversando?”. Errado, seu estúpido. Podemos dar a dica para o Horacio prestar mais atenção às pessoas que conhece na balada, e não ter medo de perder tempo com alguém que tenha um papo legal. O desafio é levar esse mini-relacionamento pra fora da balada, não deixar a coisa morrer ali mesmo onde começou. (Deus do céu, de onde estou tirando essas coisas ehauehauehauheua???)

Desempenho na nossa noite no Grazie a Dio: aí temos que inventar o final que queremos para nossa matéria. Temos fotos do Horacio com os amigos, dele no bar com meninas sentadas do lado (aí basta a legenda que a gente quiser: “Horacio nem se toca que a mina do lado tá dando bola”; ou “Em ambientes mais abertos e com mais gente, Horacio fica com vergonha de chegar na menina e puxar um papo, não sabe como conversar”, etc), dele na balada mostrando a roupa, dele xavecando a Sorvetão (tem deles dançando, conversando juntinhos e uma em que supostamente eles estão se beijando). Tem uma outra foto da mina que ele realmente beijou na balada (uma morena X), mas tá meio torta porque eu já tava bêbada e fiquei com medo da mina perceber a câmera e vir brigar comigo hehehe.

Placar: podemos dizer que ele seguiu nossa dica, deu bastante bola pra Helô, conversaram um tempão e aí ficaram. E ainda podemos falar que os dois trocaram telefones, que ele (instruído por nós, lógico), ligou pra ela e marcou um programa, os dois se viram de novo e está tudo bem. Aí podemos ter aspas dos dois, tipo, será que vira namoro, quais as chances, etc heuaheuaheuaheahe? Ou podemos falar que ele tentou seguir nossa dicar e xavecar a Helô, mas tomou um fora e acabou pegando a mina X. Ou ainda podemos dizer que ele pegou a Helô e depois, putão que é, ignorou nossas dicas e pegou a mina X, na frente da Helô, que viu tudo e armou o maior barraco. O bofe é meu, olha a facaaaaaaaa!!!

Depoimentos dos amigos: “O Horacio é o cara mais boa pinta da turma e as mulheres sempre ficam nos pés dele. E ele aproveita sempre que pode. Mas quando namorava a Paula virou outro, completamente apaixonado” / “O Horacio não se preocupa muito com o visual não. Em casa, no shopping, no bar ou na balada, as chances são que você vai encontrar ele de regata, calça jeans velha, boné, papete e meia, às vezes colorida”.

Podemos fazer uma lista dos erros dele que corrigimos, tanto de look quanto de comportamento, etc:

trocar a papete por um tênis bacana: temos foto da papete do Horacio e do tênis bacana do Luis. O problema é que o chão nas duas fotos é igual e a calça do Horacio é mais escura que a do Luis. Temos que ver como colocar essas fotos pra não pareer gambiarra.

trocar as regatas por qualquer coisa melhor: não temos fotos dele de regata, mas podemos dizer que os amigos falaram que ele sempre vestia. E na balada ele estava com uma camiseta preta.

cabelo: podemos falar que ele nunca parava pra pentear o cabelo, que é curtinho, e sempre usava boné. Mas nós demos um toque pra ele pentear sim e ainda passar um gelzinho pra modelar, como ele está na balada (ai que bichice!)

comportamento na balada: prestar mais atenção às pessoas que conhece na balada, e não ter medo de perder tempo com alguém que tenha um papo legal. O desafio é levar esse mini-relacionamento pra fora da balada, não deixar a coisa morrer ali mesmo onde começou.

comportamento no trabalho: manter sua ética, mas não deixar suas próprias regras e crenças, tanto no trabalho quanto em outras situações, descartarem completamente pessoas que podem ser muito interessantes. Ninguém vai te condenar se algo de bom começar assim, certo?

AS AMIGAS ESTAO PROCURANDO ESSAS FOTOS DESESPERADAMENTE.

AGUARDEM!

h1

Conhecendo a sogra

setembro 28, 2011

Eu tenho uma amiga que, em um dia muito ruim, conheceu um homem muito bom, ficou com ele e, depois de alguns dias, decidiu fazer a manutenção e mandar uma mensagem marota perguntando por onde ele andava e o que andava fazendo. Depois de uma breve troca de palavras, ficou combinado que os dois iriam “fazer alguma coisa” no dia seguinte.

Passadas 24 horas, a amiga estava jantando quando o boy magia (e digo MAGIA com muita ênfase) ligou convidando-a para tomar umas em algum bar. Beleza, ela foi pra casa, se arrumou e o bonito ligou de novo dizendo, em outras palavras: olha, vamos pular a parte burocrática, você não quer vir direto aqui pra casa, não? Ela topou, é claro – essa amiga não é muito chegada em enrolação.

E lá se foi ela pra casa do sujeito. Chegou, estava ele lindo, com aquele visual estupidamente charmoso que emana da soma chinelo + bermuda + moletom. Se cumprimentaram com um beijo, a bonita cheia de amor pra dar, aí eles entraram em casa e… Eis que eles não estavam sós.

Aqui, caros, entra uma reflexão muito válida, a meu ver, para a sociedade moderna. Quando um sujeito chama uma moça para dormir na casa dela, o que a moça deve pensar? “Ele mora sozinho.” Ou “ele mora com um brother”. Ou, na pior das hipóteses, “ele está sozinho em casa, a família foi viajar”. Certo? Errado. Pelo menos para este cidadão, que legalizou o sexo casual e leva a mina com quem ele está saindo pela segunda vez pra transar em casa, SOB O MESMO TETO QUE O PAI E A MÃE.

A cara da amiga foi quase no chão quando ela se deparou com o candidato a sogro na cozinha. Foi o “boa noite” mais sem graça que ela já disse. Para o cara, a coisa fluiu muito naturalmente. Ele a levou para o quarto e, né, os detalhes sórdidos do restante da noite a gente não precisa compartilhar.

Aí a linda acordou no outro dia de manhã no maior chamego, deu mais um pouquinho, tomou um banho e estava planejando ir embora muito de fininho. Só que quando chegou ao portão, o boy tinha esquecido a chave. No que ele voltou pra buscar, quem apareceu? O pai de novo? Não, muito pior. A MÃE.

Minha amiga disse que a mão dela nunca suou tanto na vida. E a sogrona, em vez de fazer um carão, resolveu ser simpática. Disse: “RÁ, achou que ia fugir de mim, né?”. Foi lá, abraçou, perguntou o nome, convidou pra almoçar (!!!!!!!). Aí o bonito voltou, também com cara de sem graça, tentando cortar o momento bizarro, quando a mãe dele perguntou para a amiga: “você estava com ele na sexta?”. A amiga: “não, por quê?”. E a mãe: “não, nada, é que eu fiquei cabreira com a história da garrafada, você viu que horrível que está esse machucado na testa dele, minha filha?”.

A amiga fez cara de conteúdo, olhou, riu, até comentou alguma coisa e, finalmente, conseguiu ir embora. Mas foi bem pensando que deveria é ter virado para a mulher e falado: “minha senhora, a senhora ta achando que eu vim aqui pra botar reparo na testa do seu filho? CÊ JURA?”. Tenha dó.

h1

Vida de solteira – Esse eterno episódio de seinfeld em looping.

setembro 26, 2011

Todo mundo sabe que a vida de solteira é essa eterna brincadeira com mix de armadilha de satanás, mas as vezes o roteirista da vida é tão infame, tão infame que a vida começa a virar um episódio de Seinfeld em looping infinito. É exatamente isso o que aconteceu com uma amiga cuja a história vamos contar a seguir.

A amiga em questão é solteira e adora cair na noite. Eis que em uma dessas noites ela foi em uma super festa e estava lá, bela e faceira dançando enquanto seus amigos estavam devidamente ocupados. De repente, não mais que de repente chega um moçoilo e puxa conversa. A amiga nem dá ouvidos e fala “Moço, entao.. Não quero conhecer ninguém não, to aqui me curtindo etc” e o moço insistiu “Mas deixa eu só te conhecer, pegar seu telefone, te achei interessante… Te observei a noite inteira.” ‘Tá bom vai, vamos la fora fumar um cigarro”.Foram, e amiga não tava fazendo nada mesmo e resolveu dar uma chance pro rapaz. Se beijaram e ui, o rapaz beijava super super super bem. ‘Huuummmm, com um beijo assim imagine o resto” pensava a amiga enquanto o rapaz desfiava mil elogios à amiga ‘Como você é linda” “É um PRIVILÉGIO te conhecer” etc. Foram pra casa da amiga, que mora sozinha, e tiveram uma noite memorável. Super conexão, tudo lindo, o moço era bom em tudo. Ui. Ao sair da casa dela pegou seu telefone e disse que retornaria assim que voltasse de viagem, o moço é fotógrafo e foi fazer umas fotos fora da cidade e a moça lhe deu um beijo e suspirou pensando “Acertei na loteria, um fuck buddy bom de cama e interessante”. Porém, como diz uma outra amiga: ‘Jacaré ligou? Nem ele”. Sumiu do mapa! Nem sinal de fumaça ele mandou. A amiga ficou magoada, e mesmo sabendo só o primeiro nome dele ainda tentou fazer um stalking, sem sucesso. Ficava criando teorias “Por que raios ele não me ligou? Será que eu fiz algo de errado? Será que o cel foi roubado?”. Bom, a paranóia durou 1 semana e meia porque né? A vida anda e não dá pra ficar esperando nada de ninguém.

Eis que, uns DOIS meses depois a amiga havia combinado de ir na mesma festa onde conheceu o rapaz, e um amigo dela, que estava na primeira vez e também o conheceu na ocasião, estava lá antes dela e o rapaz o reconheceu. Perguntou sobre a amiga, disse que tinha a procurado mas que o telefone que ele havia anotado estava errado, pediu o certo para o amigo dela que prontamente disse “Relaxa ela vem aqui e te passa pessoalmente” Nesse momento a amiga estava saindo de um bar e recebeu uma msg do amigo “Amiga, você não vai acreditar. O fotografo ta aqui e perguntou de vc. Disse que ta com seu tel errado, por isso o sumiço. Disse que vc tava vindo pra passar o certo!” Ui! A amiga super se animou, ficou passada com a historia toda e CLARO foi lá fazer o que tinha de ser feito. Chegou na festa e em 5 minutos eles se encontraram, e em mais 5 ficaram. Tudo lindo, o moço pediu desculpas, super beijo again… só no romance. Foram embora juntos e a noite deles foi ainda melhor! Porém, depois de um tempo a amiga acorda com o moço se vestindo meio apressado e não eram nem 10 da manhã” ‘Por que vc vai embora? Fica aí vai” pediu. “Não, não posso, tenho que ir etc” a amiga desconfiou, mas ok. Aí disse “Ué, não vai anotar meu numero certo?” “Ah, claro! Aproveita e anota vc mesma”. Tolinho… rs. O moço possui um Iphone e todos sabem que basta vc colocar os primeiros números que o contato correspondente aparece e… O NUMERO DA AMIGA APARECEU. Ha ha ha. Na hora ela riu e disse ” Ih, essa história de numero errado não colou hein? Olha o meu número aqui”. Vish, o moço ficou hiper sem graça e deu aquela desculpa esfarrapada. A amiga é claro, fingiu que aceitou mas assim que o moço foi embora ligou o computador e foi stalkear baseada nas informações colhidas na noite anterior. O moço trabalha com um fotógrafo famoso e tinha dito isso, claro que a amiga lembrou e não demorou nem 10 minutos para achar o perfil dele no facebook. E NÃO É QUE O RAPAZ NAMORA MINHA GENTE? (Uma namorada bem desprovida de beleza, diga-se de passagem) e pelo o que a amiga pode perceber, esse namoro não é de hoje não. Fotos de aniversários de familiares e ele lá pagando de namorado fiel. AHAM, SEI. A amiga não se fez de rogada e mandou uma mensagenzinha pra ele no Fb “Queridinho, não precisava de toda essa história…” (E não obteve resposta, por supuesto) E não precisava mesmo!Mentiroso compulsivo e sem caráter foram as duas primeiras coisas que vieram à cabeça da amiga. E só ele quer ser esperto né? Aff. Insistiu pra ficar na primeira vez e depois inventa uma historia absurda que não foi capaz de sustentar. Coitada da namorada, que provavelmente deve se sentir a mulher mais amada do mundo e na verdade tem um belo de um zé mané ao seu lado.
Ah sim, e tem a cereja do bolo! No perfil do moço, na parte da auto descrição está escrito “SOU UMA PESSOA MARAVILHOSA” (Não vou rir, não vou rir, não vou rir, não voKkkkkKKKkkkKkk)
A parte triste da história é que a amiga havia falado para o amigo que estava com ela na balada pra ele dormir na casa dela pois era mais perto da festa e havia um quarto sobrando. Porém, ela trancou a porta e deixou o celular e capotou depois da noite animada que teve. Quando pegou o celular haviam mensagens e ligações e ela queria morrer! Comprou um presentinho de desculpa, mandou mensagem mas ainda não obteve resposta. O amigo ficou mesmo magoado.

E é essa a vida que vai sediar a Copa de 2014 AND as Olimpíadas de 2016. RYSOS.

h1

Na cama, no banho, na banheira…

setembro 12, 2011

Eu tenho uma amiga que vive intensamente seus dias e tenta aproveitar ao máximo todos os momentos.

Num final de semana que seus pais viajaram ela nâo pensou duas vezes em curtir os confortos do apartamento familiar e convidou seu gatinho para jantar no lar. Aproveitou pra mostrar o quanto é prendada e fez um jantar ótimo regado a muito vinho.

No dia seguinte só sobrou a ressaca claro e a preguica imensa de fazer qualquer coisa. Nesse momento eis que surge sua grande idéia de tomar um banho romântico de banheira.

Motel em casa? Foi esse o “feeling”.

Sabonete vai, sabonete vem, o casal todo feliz na banheira, quando num momento totalmente inesperado a porta se abre… tam tam tam…

Ninguém mais nem menos que o Pai da garota surpreende o pombinhos alegres na banheira.

Imagina o mais flagra da vida?

Poisé, esse foi o maior flagra da vida da minha amiga, que ficou por 1 mês sem conseguir olhar na cara de seus pais.

%d blogueiros gostam disto: