Archive for the ‘Uncategorized’ Category

h1

Como vc achou o eu tenho uma amiga?

julho 10, 2012

Image

 

Precisa falar alguma coisa?

Anúncios
h1

Alô, Nelson?!

maio 7, 2012

Eu tenho uma amiga que é uma linda, super gente boa, aquela que dá pra gente contar em todas as horas sabe? Pois é, acontece que tem gente que é tão sem noção que acha que só porque a pessoa é legal pode aprontar a maior papagaiada do mundo que nem vai dar nada. Foi exatamente o que aconteceu na história que contaremos aqui.

A amiga em questão tinha conhecido um gatinho que era amigo de amigos (amigos dos amigos- a maior fonte sexual já inventada na história) e logo se interessou por ele. Como a amiga na época morava em uma república que era das mais animadas de São Paulo, resolveu chamar a tchurma pra uma festinha que ia rolar na sua casa e de quebra já resolveria a situação com o gatinho.

A festa foi um sucesso e todo mundo se divertiu e bebeu, claro, ~como se não houvesse amanhã~.  O tempo foi passando, a paquera foi evoluindo e as coisas foram esquentando como todos vocês já podem imaginar. A amiga tomou uma atitude e levou logo o moçoilo pro quarto, nas palavras da amiga o sexo foi ruim por dois motivos: 1- Ela estava muito bêbada; 2-O moço tinha o piru pequeno, bem pequeno (RISOS ETERNOS), mas eis que já pela manhã naquela hora do sexo matinal o moço se mexe ainda meio dormindo e profere a seguinte frase: “NELSON, É VC?”

 Image

OI?

OI???

OEEEE?

“NELSON? Meu filho, Mané Nelson o que!” A amiga pensou, mas resolveu ficar calada. Porque né? Tem pau pequeno e ainda confunde seu nome com um nome de homem, melhor deixar pra lá.

PAUSA DRAMÁTICA PARA O DETALHE IMPORTANTE

**Entre os convidados da festa estava uma amiga de nossa amiga, aquela amiga super fofa mas que também tem super fogo na periquita sabe? Não importa de quem for boy, se estiver disponível ela pega mermo**

Acontece que no dia seguinte a amiga tinha que visitar os pais no interior pois sua mãe estava doente, no entanto, a amiga tomou café da manhã com o boy, um amigo e a ~amiga~ que acabou dormindo por lá. Quando a nossa amiga disse que ia para o interior, de pronto a amiga biscate disse que ia em uma festa perto dali mais tarde e perguntou se por um acaso poderia ficar por lá até a hora da tal festa e CLARO chamou os dois meninos para irem com ela. A amiga disse que ela podia ficar por lá e foi-se embora, passou o final de semana bela e formosa e quando regressou à sua morada no domingo ficou sabendo que depois de ter saído, os 3 compraram cerveja e uma garrafa de vodka e ficaram bebendo até que tcharam, ELES SE PEGARAM . Eles eu digo o boy e a amiga da onça porque o terceiro elemento era uma bichona.

E não para por aí não! Eles não só se pegaram no sofá-cama da sala como também foram ao cinema e depois desfilaram de casal em um bar!! E vocês acham que foi a amiga que contou depois de ter se arrependido dessa papagaiada toda? Foi nada! Quem contou foi uma outra amiga e, claro, um dos roomates que viu tudo e ficou boquiaberto.A nossa amiga ficou muito puta com toda a historia e chateada também né? O mínimo que a gente espera das amigas é que elas não peguem o nosso boy certo? R: não. Pffff

O tempo passou e a história virou piada na turma, porém em uma festa de despedida que rolou um tempo depois as duas se encontraram e a amiga da onça chegou como se NADA tivesse acontecido, dizendo “Ai como vc ta linda!” (sem comentários) e quando viu que a amiga não ia dar corda começou a chorar para os outros dizendo que estava sendo vítima de uma INJUSTIÇA (sem comentários 2).

Não obstante, uns 6 meses depois as agora ex-amigas voltaram a se encontrar casualmente e a nossa amiga teve que ouvir que a coitada estava passando uma FASE DIFÍCIL, que foi ENGANADA por coisas que ele disse e como ela é muito INGÊNUA as pessoas se aproveitam dela por isso.

Image

FASE DIFÍCIL= Aquela fase BISCATE MAROTA que algumas mulheres passam na vida e que na maioria das vezes nunca passa.

ENGANADA: Passar dos 15 anos e continuar usando essa desculpa é o cúmulo da cara de pau.

INGÊNUA: SEM COMENTÁRIOS 3.

Como já dizia um célebre personagem de uma novela famosa: “É um absurdo tão grande que só mesmo tomando uma boa dose de whisky”

E ainda tem a cereja do bolo: A amiga perguntou o porquê do cara falar “Nelson” do nada no meio da manhã e ele respondeu da seguinte maneira : “ Eu acordei meio ~confuso~ e achei que tinha dormido do lado dele”

FIM.

h1

Passando todos os limites de FDPutice

abril 12, 2012

Quando terminei de ouvir a longa história que vou contar a vocês, demorei uns bons minutos para esboçar alguma reação. Mas digo que o primeiro pensamento que me veio à cabeça foi: “depois que as muié viram tudo vagabunda, elas que estão erradas, êta mundo”.

 A amiga namorava fazia uns três anos. E era muito feliz. O sujeito era carinhoso e atencioso, filho de um casal amigo dos pais dela havia muitos anos, de ótima índole. Os planos de casamento já faziam parte da pauta, tanto que os dois tinham comprado, juntos, um apartamento, onde ficavam toda semana de quinta a domingo, meio que pra irem já se acostumando aos trâmites da vida conjugal.

Um detalhe importante sobre o desenrolar da história: o então noivo da amiga era bem de grana e bastante ambicioso, sempre preocupado em ganhar mais dinheiro, construir uma carreira de sucesso e subir ainda mais na vida. Isto posto…

Pois bem, a amiga conta que, um belo dia, o sujeito começou a ficar estranho, frio, distante. Foi dando sinais cotidianos de que algo não ia bem. A amiga pensou “poxa, ele deve estar entrando na pira de casar, todo homem passa por isso, normal”. O bonito ficou fora por uns dias em um congresso e, quando voltou, estava ainda pior. Aí ela começou a ficar desconfiada de verdade, mas tentou não pirar muito nessa desconfiança.

 Pouco tempo depois, estava a amiga no canto dela quando começou a receber vários telefonemas de amigos e conhecidos dando parabéns. Ela respondeu com surpresa a todos, que disseram “nossa, como assim parabéns por que, você não está grávida?”. Claro que ela não estava.

O cara é tão xarope que foi capaz de traí-la, engravidar a outra e, antes de falar com ela, contar nas redes sociais que ia ser pai. Vocês têm noção?

A amiga, ensandecida, começou a ligar para ele, foi até a casa da mãe dele, mas nada de ele atender ou aparecer. Ela então baixou no apartamento dos dois e, quando chegou lá… Surpresa! O porteiro não a deixou subir, por ordens dele. Ela só conseguiu entrar após uma boa cota de escândalo, e quando entrou, se deparou com o apartamento praticamente vazio. Ele levou TUDO embora, todos os móveis e eletrodomésticos.

 Passada, magoada e completamente desiludida, a amiga ficou sem saber o que fazer. Sem conseguir contato com o cara, que sequer se dignou a lhe dar um fora, ela passou por dias e dias de trevas. Quando começou a se sentir melhor, combinou de tomar um chope em um boteco com uma amiga. Beleza, se arrumou, saiu de casa e, no meio do caminho, a amiga dela ligou sugerindo mudança de local. Como a voz do outro lado da linha estava estranha, minha amiga logo imaginou o que estava acontecendo. E foi até o lugar combinado mesmo assim.

Quando chegou, se deparou com o safado sentado em uma mesa com todos os amigos em comum dos dois, apresentando a eles a mãe do seu filho. Mesmo emputecida, ela não desceu do salto e ficou observando de longe, enquanto os amigos vinham até a mesa dela perguntar “fulana, PELAMORDIDEUS, o que está acontecendo aqui?”. Aos poucos, as pessoas foram migrando para a mesa dela, deixando o ex puto da vida.

O que a amiga queria a essa altura era apenas a oportunidade de falar todas as verdades do mundo olhando na cara do infeliz. Como ele estava se esquivando, ela forçou para dar de cara com ele num canto e despejou. Deu até tapa na cara! Achei ótimo, embora muito abaixo do merecido.

Com esse rolo todo, para vocês terem uma ideia, a mãe do maldito entrou até em depressão. Com isso, a minha amiga não quis levar a história pra frente. Não processou, não fez nada. Perdeu toda a grana do apartamento e das coisas que estavam lá. Saiu do relacionamento, literalmente, fudida e mal paga.

Image

Agora, vocês querem saber o que aconteceu depois? A amiga apurou logo após o incidente do bar que a moça grávida não sabia que ele era noivo – obviamente, ele contou uma história distorcida que supria às necessidades dele e queimava a minha amiga. Porém, os amigos em comum fizeram questão de contar para a grávida toda a história: que ela tinha sido enganada, que o cara acabou com a vida da minha amiga, que ela (a grávida) estava dormindo na cama da minha amiga e guardando a comida dela na geladeira da minha amiga. Resultado: a coitada da moça perdeu o bebê e terminou com o cara. Ele? Não sabemos se melhorou ou piorou, se ficou amargurado, mas está sozinho até hoje. A minha amiga? Teve outros relacionamentos depois disso e agora está numa boa, tanto que conta essa história na mesa do café como quem conta um capítulo da novela das oito.

Image

E vocês sabem o que é mais legal disso tudo? Lembra que eu comentei lá em cima que era importante saber que o babaca era obcecado por dinheiro e poder? Pois então, vocês sabem por que, Deus, ele jogou fora um relacionamento de três anos engravidando outra mulher? Porque a outra tinha cargo mais alto que o dele na empresa em que os dois trabalhavam e ele achava que, comendo chefe (e engravidando, consequentemente), a carreira lá dentro ia deslanchar! Não é lindo?

Até onde temos notícias, o gato continua trabalhando na mesma empresa. Pelo menos conseguiu então não ser demitido depois do bafão na época. Mas olha, ficam aqui os sinceros votos desta blogueira, em nome de todas as mulheres que já foram passadas para trás nessa vida: TOMARA QUE ESSE FILHO DE PUTA COM SOLDADO RASO TERMINE A VIDA MENDIGANDO NA RUA. Sem um real no bolso e, principalmente, sem ninguém. Esse não merece nem o amor dos cachorrinhos vira-latas. 

h1

Ela é de São Paulo…

setembro 12, 2011

Eu tenho uma amiga paulistana que se identificou muito com o texto de Marcelo Rubens Paiva, A garota de São Paulo.

Por isso compartilhamos aqui um pouco sobre as mulheres da terra da garoa:

Existem mais de cem tons de cores. Mas prefere o preto.
Cítricas?
Só quando vai à praia.
E costuma cobrir suas pernas esticadas, finas, com meias pretas.
Usa botas. Não existe mulher que se veste melhor do que as paulistas. E que saiba qual bota escolher e como andar sobre elas.
Sabe o equilíbrio entre o moderno e o convencional. Senso estético apurado. Dona do seu próprio estilo.
A paulista não anda, caminha apressada. Vem e passa. Sem balanço. Sem mar para ir atrás. Moça do corpo pálido. Saturado pela pressa. Beleza que passa sozinha.
Não faz questão de chamar atenção.
Nem tanta questão de ser gostosa, mas magra.
Sempre de dieta.
Sempre em guerra contra a balança.
Malha para se afunilar. Intensamente, pois sabe que a gastronomia da cidade é uma tentação. Massas, pizzas, doces, sorvetes, doces, nhá benta, tesão…
Academia?
Prefere pilates, que estica até o limite das juntas, quase rasga em duas.
E corre, se quer emagrecer urgentemente.
Olhando o chão, pois já tomou muitos tombos por causa das calçadas irregulares da cidade, uma anarquia de desníveis, pedras, buracos, pisos sem um padrão seguro para o seu caminhar apressado de botas, meias e pernas finas.
Rebolar?
Fora de questão.
Olha para o chão e se lembra do que esqueceu, do quanto falta, do que faz falta, do que está errado.
A garota de São Paulo é perfeccionista, gosta de estar ajustada, como as engrenagens de uma indústria. Quer a precisão da esteira de uma linha de montagem.
Passa e olha para o chão, pois pensa nas atividades, nos prazos atrasados, nos compromissos da semana, na agenda do mês.
A garota de São Paulo leva uma vida saudável. Procura comer verduras sem agrotóxico.
Leite?
Desnatado.
Carne vermelha?
Eventualmente.
Carboidrato à noite?
Nem pensar.
O pão tem que ser integral. Linhaça e aveia no café da manhã? Obrigação. Café descafeinado. Chás. Queijos brancos, magros.
Nada industrializado, a não ser a caixa de Bis, que detona algumas vezes em certos períodos, que por vezes tem o intervalo longo, mas quando se torna um vício, chora, porque algo deu errado, desembrulha e engole cada Bis, como se nele a explicação das incoerências.
Recicla o lixo.
Toma remédios para dormir. Toma excitantes para acordar. E aguentar a jornada.
Ela é ambiciosa, trabalha demais, em mais de um emprego, pensa em dez coisas ao mesmo tempo, procura conciliar a organização do lar com a de fora dele.
Ama e odeia o chefe.
Ama e odeia o trabalho.
Sabe que ele dá a independência para ser a moça que quiser, mas também tira o tempo de ser a moça que queria ser.
Metade dela sofre o descarte para a outra parte florescer.
Adora elogios.
Odeia galanteios.
Adora presentes.
Detesta insistentes.
Quer ser cortejada.
Jamais abusada.
Sorri quando assopram um elogio. Fecha a cara quando ultrapassam o limite da sua intimidade. Preserva a privacidade.
Algumas querem ser chefe. Chefiar garotos de São Paulo. O que só dispara seu conflito maior, o de agregar. Terá que dar ordens, broncas, demitir, exigir, estipular metas, cobrar eficiência. E depois sozinha em casa chora no escuro ao som de Billie Holiday. Se sente pressionada, e ela não sabe por quê. A vida não faz sentido, e ela não sabe por quê.
Chora em comerciais da TV, cerimônias de casamento, em maternidades, quando visita as amigas, no farol, quando uma criança vende bala.
A garota de São Paulo dirige bem. O problema é que se maquia enquanto fala no celular e ultrapassa um busão articulado, aproveitando a brecha entre ele e uma betoneira lotada de concreto. E se esconde no anonimato do insufilm, muda a música do MP3 e, dependendo dela, canta sozinha em voz alta, para não ouvir impropérios.
Faz tanta coisa ao mesmo tempo…
Dirige bem, mas é dispersa. Pensa em vinte coisas em dez segundos. Nunca chega a uma conclusão.
Liga para a mãe semanalmente. Troca poucas palavras com o pai. Detesta a esposa do irmão. E ama as amigas. Com quem viaja para a praia, para não ficarem um segundo em silêncio. Se o tempo não dá chances, prefere uma tarde na piscina do condomínio com as amigas do que encarar o parque lotado.
Se irrita com homens que falam de dinheiro. Se irrita com homens que contam vantagens no trabalho. Se irrita com homens grudentos, esnobes, arrumadinhos, fúteis, incultos, mal educados.
Gosta de homem interessante.
É assim que ela seleciona: os interessantes e os não.
O que é um homem interessante?
Nem se gravar o papo de seis horas na piscina com as amigas consegue-se descobrir.
Tem que ser aquele que chega e não dá bola. Mas que a repara bem antes de ir embora. Que olha como se ela fosse a mais fosforescente das mulheres. E que desse um jeito a todo custo de trocar meia dúzia de palavras e, claro, criar laços e conexões.
Mas se nada der certo, garotos, não esquentem a cabeça. A mulher de São Paulo sabe seduzir. Sabe olhar e demonstrar. Sabe chamar atenção e indicar que você foi o escolhido. Sabe sorrir, ser paciente com a sua demora, ouvir atentamente os seus devaneios e engasgos. E, quando parece tudo estar perdido, sabe dizer a hora de ir embora, como e sugerir na casa de quem.
A garota de São Paulo não enrola.
Quando não quer, deixa claro.
Quando quer, faz de tudo para acontecer.
E não tem o menor pudor de ir para a casa com você na primeira noite, preparar o café da manhã da primeira manhã, que logo, logo, ambos saberão se vai se repetir ou ser o único.
Pode deixar. Andando de volta para casa, com suas meias pretas e botas, olhando para o chão, ela pensará em você.
Tudo isso é uma generalização literária. Mas me dá licença, poeta, para uma licença poética, homenageando sem pedir licença a graça pragmática da mulher paulista.

texto original: http://blogs.estadao.com.br/marcelo-rubens-paiva/a-garota-de-sao-paulo/

h1

Maria Barriga

fevereiro 23, 2010

Eu tenho uma amiga que tem um ex namorado, logo após o término ele engravidou uma mina (olha o golpe da barriga aí geeente!) que ele já havia namorado. Como todos os casais que namoraram muito tempo, a amiga e o ex tinham MUITOS amigos em comum!
Um belo dia os amigos da amiga encontraram a grávida, que começou a falar das maravilhas da gravidez:

Ai, gravidez é uma delícia! Estou A-DO-RAN-DO !! É uma experiência única etc etc etc.

Depois de muito falatório a melhor amiga da amiga diz:
É, gravidez é uma maravilha mesmo O FODA É QUE NASCE !!

h1

cadê?

fevereiro 10, 2010

Eu tenho uma amiga que,  doida da augusta, entrando no estacionamento, perguntou ao manobrista:

MOÇO, CADÊ O CARRO DA MINHA CHAVE?

kRIRIRIRIRI!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

h1

A secreta vida sexual das canetas Bic

janeiro 23, 2010

%d blogueiros gostam disto: